Evandro Carvalho segue à frente da presidência da FPF até 2026.




    Por mais quatro anos, a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) será comandada por Evandro Carvalho. Neste domingo (18), o atual mandatário da entidade foi escolhido para continuar no posto pelo quadriênio 2023/2026. Ele derrotou o outro candidato da oposição, o empresário André Cortez, da chapa "Restauração e Renovação", por 75 votos a 13.

    Alexandre Mirinda, que também participaria do pleito, teve a chapa impugnada pela comissão eleitoral - ele ainda tentou um recurso pela manhã para disputar o pleito, mas o pedido foi negado. A eleição ocorreu no Centro de Eventos Recife, prédio da Faculdade Pernambucana de Saúde, na Imbiribeira, na Zona Sul da capital.

    Além da permanência de Evandro na presidência, da chapa "Compromisso com a Modernidade", a FPF também teve eleição para escolher os vice-presidentes (Pedro Lacerda e Paulo Wanderley) e os integrantes do Conselho Fiscal (Altamir Torres Peixoto Pinto, Cláudio Pinto Cezário Calado e Paulo Antônio Leitão Maranhão).

    Ao todo, 96 representantes de instituições estavam aptos a votar. Seis clubes tinham direito a dois votos: Nautico, Santa Cruz, Sport, América, Íbis e Retrô. Pelo Trio de Ferro, estavam os mandatários de Timbu (Diógenes Braga), Leão (Yuri Romão) e Tricolor (Antônio Luiz Neto).

    A eleição, além do modelo presencial, com votação fechada, teve a opção da votação eletrônica, por meio de um link distribuído pela empresa "Bisa Web", em que todos os filiados, entre clubes e ligas municipais, puderam exercer o direito do voto.

    Na presidência desde 2011

    Evandro Carvalho está à frente da presidência da FPF desde 2 de setembro de 2011, após a morte do então mandatário, Carlos Alberto Oliveira. Nas últimas eleições, de 2014/2018 e 2018/2022, Evandro foi aclamado, sem bate-chapa.

    O gestor integra a entidade desde 1985, tendo exercido a vice-presidência durante 16 anos, antes de ocupar o cargo máximo. Em termos de longevidade no posto, o atual presidente está atrás apenas do próprio Carlos Alberto, que ficou 16 anos à frente da Federação (1995-2011), e Rubem Moreira, por 27 anos (1955-1982).

    "Precisamos resgatar o suporte financeiro do Estado. A volta do Todos com a Nota é um grande diferencial. A partir do próximo ano, teremos um apoio substancial no nosso futebol. Espero colocar Pernambuco onde já esteve comigo no passado, com no mínimo dois clubes na Série A", afirmou Evandro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog

Jurídico de Raquel Lyra vai à Polícia Federal e Procuradoria Eleitoral para garantir atuação da PF nas eleições.

       A coordenação jurídica da Coligação Pernambuco Quer Mudar (Federação PSDB -Cidadania e PRTB) denunciou à Polícia Federal e à Procurad...